Melancólico, triste, breve e de uma imensa profundidade simbólica, “O Velho e o Mar” é um dos livros mais importantes e famosos do século 20. A história de um pescador em uma fase de extremo azar que fisga um enorme peixe-espada e passa dias para que consiga domá-lo foi publicada em 1952 e rendeu ao norte-americano Ernest Hemingway, seu autor, o Prêmio Pulitzer de 1953. No ano seguinte seria a vez do barbudo bom de briga ser agraciado com o Nobel de Literatura por conta de sua maestria narrativa comprovada pela obra que lançara há pouco.

JOGA PEDRA NA GENI: CLÁSSICO DE CHICO BUARQUE VIRA HQ DELICADA E SILENCIOSA

Monumento literário sobre a relação entre homem e natureza, o clássico ganhou uma releitura em quadrinhos que acaba de sair no país pela Bertrand Brasil. Livremente adaptado e ilustrado pelo francês Thierry Murat, a versão e HQ de “O Velho e o Mar” consegue captar bem o tom poético dos escritos de Hemingway. Os momentos que o velho divide com o peixe no mar ganham memoráveis desenhos em tons predominantemente azuis ou alaranjados e o desfecho da aventura também é de emocionar quem se envolve com a narrativa.

Veja algumas páginas da obra (clique nas imagens para ampliá-las):

Gostou? Você pode me acompanhar também pelo Twitter e pelo Facebook.

Powered by WPeMatico